Páscoa. A origem dos ovos de Páscoa. Aviso: Proibido para menores – trechos de extrema violência.

Esta galeria contém 10 imagens.

Uma semana antes da Páscoa. Madrugada gelada e chuvosa. Rua de acesso ao portão lateral de uma grande empresa de ovos de Páscoa. Brasil. – Vem Flidais. – Pã puxou o braço da amiga para atravessar a rua deserta e mal iluminada. – Ai, não me puxa, estou indo. – Revoltou-se Flidais. – Não podemos […]

Grandes batalhas LXVI: Deusas traídas.

isis_and_osiris_by_neverclockosíris e ísiszeus e hera zeus_and_hera_by_dewmanna-d4lgsxjhera Zeus-e-Hera

Grandes batalhas LXV: Caçada: Bastet vs Ártemis: quem leva a melhor, a caça ou a caçadora?

ártemis artemis - diana-william-brownartemis caçadorabastet deusa gato e gatabastet charmosaBastet_by_Sephiroth_Art

Exu – Deus africano

A palavra “Exu” significa, em ioruba, “esfera”, aquilo que é infinito, que não tem começo nem fim. Exu é o principio de tudo, a força da criação, o nascimento, o equilíbrio negativo do Universo, o que não quer dizer coisa ruim. Exu é a célula mater da geração da vida, o que gera o infinito, infinita vezes.

É considerado o primeiro, o primogênito; responsável e grande mestre dos caminhos; o que permite a passagem o inicio de tudo. Exu é a força natural viva que formenta o crescimento. É o primeiro passo em tudo. É o gerador do que existe, do que existiu e do que ainda vai existir.

Exu está presente, mais que em tudo e todos, na concepção global da existência. É a capacidade dinâmica de tudo que tem vida. Principalmente dos seres humanos que carregam, em seu plexo, o elemento dinâmico denominado Exu.

É aquilo que no candomblé chamamos de Bára, ou seja “no corpo”, preso a ele. É o que nos dá capacidade de agir, andar, refletir, idealizar. Sem o elemento Bára, a vida sadia é impossível. Sem ele, o homem seria excepcional, retardado, impossível de coordenar e determinar suas próprias atitudes e caminhos de vida..

Realmente, Exu está presente em tudo. E damos como exemplo inicial a concepção da geração da vida. O membro ereto do macho tem a presença de Exu- aliás, em terras da África, o membro rijo é o símbolo da vida, o símbolo de Exu – ; a penetração na fêmea, tema a regência de Exu; a ejaculação é coordenada por Exu; o percurso do espermatozóide dentro da fêmea, é regido por Exu; também na fecundação do óvulo Exu está presente. E quando a primeira célula da vida esta formada, a presença de Exu se faz necessária. Já na multiplicação da célula, a regência passa por Oxum, que vai reger o feto até o nascimento.

Exu também está presente no calor, no fogo, na quentura. Presente se faz nos lugares poucos arejados, nos lugares onde existem multidões, nos ambientes fechados e cheios.

Exu está na alteração do ânimo, na discussão, na divergência, no nervosismo. Está presente no medo, no pavor, na falta de controle do ser humano. Também está perto na gargalhada, no riso farto, na alegria incontida. Para nós brasileiros, amantes do futebol, Exu está presente no grito de “gol”, que soltamos de forma feliz e nervosa. É o desprendimento do nervosismo contido no peito.

Exu é a velocidade, a rapidez do deslocamento. É a bagunça generalizada e o silêncio completo. Diz-se que Exu é a contradição. É o sim e o não; o ser e o não ser. Exu é a confusão de idéias que temos. É a invenção, descoberta. Exu é o namoro, é o desejo, é o sentimento de paixão desenfreadas e é também o desprezo. Exu é a voz, o grito, a comunicação. É a indignação e a resignação. É a confusão dos conceitos ba´sico. Aquele que ludibria, engana, e confunde; mas também ajuda, dá caminhos, soluciona. É aquele que traz dor e a felicidade.

Para se ter uma noção do comportamento e da regência paradoxal de Exu, cito um de seus Orikis (versos sarados), que diz;

” Exu matou um pássaro ontem, com a pedra que jogou hoje”

Assim, pode-se ter uma idéia exata de quem Exu é, como é, e como rege as coisas. Ele esta presente em tudo….. em nada.

Exu esta presente no consumo de substâncias tóxicas, no álcool, na droga, no fumo. Ele é o sólido, o liquido e o gasoso. Está nas conversas de esquinas, de bares, de restaurantes, de praças. Está na aceitação ou recusa de qualquer coisa.

Está presente também nas refeições, pois ele é quem rege o ato de mastigar e engolir. A gula é atributo de Exu. Está no coito, no prazer sexual, na preguiça; mas também está presente na disposição, na energia, sem querer com isso carregar peso, pois Exu não gosta de carregar peso. Outro Oriki fala claramente sobre esta sua particularidade:

” Xonxô obé, odara kolori erú”

” A lâmina (sobre a cabeça) é afiada; ele não tem cabeça para carregar fardos”

Exu é tudo isso e mais. Fogo é o seu elemento, mas a Terra e o Ar são bem conhecidos de Exu. É a presença constante!

Mitologia

Exu é filho de Iemanjá e irmão de Ogun e Oxossi. Dos três é o mais agitado, capcioso, inteligente, inventivo, preguiçoso e alegre.É aquele que inventa historias, cria casos e o que tentou violar a própria mãe.

Numa de suas muitas histórias, podemos entender exatamente suas capacidade inventiva, sua conduta maquiavélica e sua maneira pratica de resolver seus assuntos e saciar seus desejos.

Conta-se que dois grandes amigos tinham, cada um deles,um pedaço de terra, dividido por uma cerca. Diariamente os dois iam trabalhar, capinando e revirando a terra, para plantio.Exu, interessado nas terras, fez a proposta para adquiri-las, o que foi negado pelos agricultores. Aborrecido, mas determinado a possuir aqueles dois terrenos, Exu procurou agir. Colocou na cerca um boné. De um lado branco, de outro vermelho. Naquela manhã, os amigos lavradores chegaram cedo para trabalhar a terra e viram o boné na cerca. Um deles via o lado branco e outro o lado vermelho.

Em dado momento, um dos amigos pergunto: – “O que este boné branco faz em minha cerca?” Ao que o outro retrucou: – “Branco? Mas, o boné é vermelho!”

– Não, não, amigo. O boné é branco, como algodão!

– Não, não é mesmo! É vermelho como o sangue!

– Não sei como você pode ver vermelho, se é branco, está louco?

– Não, o louco é você, que vê branco, se a coisa é vermelha!

Bem, daí desencadeou-se a maior discussão, até chegarem à luta corporal. E com as mesmas ferramentas de trabalho, mataram-se.

Exu, que de longe assistiu a tudo, esperando o desfecho já imaginado por ele, aproximou-se e assumiu a posse das terras, não sem antes fazer um comentário, bem ao seu estilo:

– Mas que gentes confusas, que não consegue solucionar problemas tão simples!

Esse é o tipo de Exu!

Não quero passar a impressão de que se trata de uma coisa ruim, má, mas Exu é nosso próprio interior, é a nossa intimidade, o nosso poder de ser bom ou mau, de acordo, com nossa própria vontade. Exu é o ponto mais obscuro do ser humano e é, ao mesmo tempo, aquilo que existe de mais óbvio e claro.

Assim é Exu, Senhor dos caminhos, pai da verdade e da mentira. O Deus da contradição, do calor, das estradas, do princípio ativo de vida. O mestre de tudo… e nada!

deus orixá exu

exu áfrica

exu demonizado pela igrejaexu deus africanoEXU MORCEGO1exu umbandaExuexu1

Grandes batalhas LXIV – Cristianismo e a demonização dos antigos deuses. A maior vítima do maniqueísmo cristão foi…

Leia este texto para fins didáticos.

deus orixá exuhelHADES_ORIGIN__ABANDONED__by_Titanslicer

Grandes Batalhas LXIII: Cronos vs Eros. A força inexorável do tempo, que é capaz de fustigar a paixão e selar a dor da perda, é capaz de aplacar o amor?

Please correct my English. I’m learning yet.

 

Great Battles LXIII: Kronos vs. Eros. The inexorable time force, which is able to harass the passion and seal the pain of loss, is able to placate love?

 

Yes. Cronos controls the greatest power: time. Nothing resists its inexorable power. Human, structures, civilizations will disappear; feelings and memories are crushed

 

No, nothing beats love; nothing beats the Eros arrows (Cupid). Love is what makes us human and strong; It is what drives us. Who loves never forgets.

CRONOS

cronos tempoCronus_by_GENZOMAN

EROS

eros cupido adultoeros cupido traira

Dia dos namorados – Proibido para pessoas sensíveis

Esta galeria contém 3 imagens.

Era meio-dia, encontrava-me em um café na av. Paes de Barros. Um lugar agradável. Nas paredes, do lado esquerdo, existiam balcões de mogno e mármore negro, nas paredes havia prateleiras repletas de bebidas importadas. As mesas eram do século XIX. Os funcionários resumiam-se a sete pessoas. Destas, três eram cozinheiros, dois balconistas e duas garçonetes. […]