Grandes Batalhas LXXVI – As pessoas mudam? Susanoo vs Íxion

Somente os extremamente sábios e os extremamente estúpidos é que não mudam. (Confúcio)

Frases…

Íxon

Íxion figura entre os três maiores vilões da mitologia grega, ao lado de Sísifo e Tântalo. Tanto a culpa de Tântalo quanto a justiça no castigo de Sísifo são questionáveis, contudo, não há argumentos capazes de defender Íxion.

Íxion, filho de Flégias, descendente do deus-rio Peneu foi rei dos Lápitas, um povo que habitava a Tessália, próximo aos montes Pélios e Ossa. Tendo-se apaixonado por Dia, filha de Eioneu, prometeu-lhe seus cavalos em troca da mão de sua filha. Após o casamento, Íxion negou ao seu sogro os cavalos que lhe havia prometido, ao que este reagiu com a tomada à força do que lhe era devido, fazendo com que Íxion jurassevingança. Não tendo conseguido decidir entre a morte e o sofrimento para seu sogro, Íxion optou por ambos: construiu uma câmara incendiária e camuflou-a em sua casa como um cômodo. Dioneu, tendo aceitado um convite de Íxion para uma reconciliação dirigiu-se à casa deste e caiu em sua armadilha. Enquanto era incinerado, seus gritos de desespero levaram Íxion ao arrependimento, mas era tarde. Ao abrir a porta da câmara, Íxion se deparou com o corpo carbonizado de seu sogro.

Após seu crime, o remorso fez com que Íxion enlouquecesse, e sua loucura o fez errar pelo mundo como mendigo. A única maneira de recobrar a sanidade seria submetendo-se a umapurificação para a expiação do crime, porém ninguém conhecia o ritual próprio para o caso, já que nunca antes ninguém havia assassinado um membro de sua própria família.

Ao ver o sofrimento de Íxion, Zeus apiedou-se. Restitui-lhe a sanidade e convidou-o a partilhar do banquete dos Deuses, convite que foi prontamente aceito pelo mortal. Tendo-se embriagado pelo néctar, Íxion passou a assediar a esposa de seu anfitrião, a própria Hera Crônida. Esta, ao perceber as intenções do visitante alertou seu esposo a respeito das intenções de seu convidado. Ao que parece Zeus encontrava-se com um bom-humor anormal neste dia, pois, em lugar de irritar-se, achou divertida a situação, e para testar seu hóspede forjou um simulacro de sua própria esposa usando umanuvem, e deixou-a a sós com Íxion, que a possuiu. Desse conúbio nasceu a raça dos Centauros, metade homens, metade cavalos. Todos os Centauros são descendentes de Íxion, exceto Quíron (preceptor de Aquiles entre outros) e Folo.

Após ter possuído Néfele crendo ser esta Hera, Íxion despediu-se dos Deuses e voltou para a Terra e, tendo chegado, divulgou para os primeiros mortais que encontrou que havia possuído a esposa do próprio Zeus. Este, enfim, irritou-se ao ver a possibilidade de angariar a fama de ter sido traído por um mortal. Imediatamente Íxion foi fulminado por um raio e lançado no Tártaro, onde foi preso a uma roda em chamas e condenado a nela girar pela eternidade. (Fonte: Wikipédia)

íxion 300px-JulesElieDelaunayIxionPrecipiteDansLesEnfers Ixion Rubens

Susanoo

Susanoo (japonês: 須佐之男命, Susano’o-no-mikoto; também romanizado como Susano-oSusa-no-o, e Susanowo) no Xintoísmo é o deus do mar e das tormentas na mitologia japonesa.

Susanoo é o irmão de Amaterasu, a deusa do sol e de Tsukuyomi, o deus da lua. Susanoo nasceu do nariz de Izanagi.

Susanoo se comportou mal de várias maneiras (matou o cavalo e a tecelã de confiança de Amaterasu, por pirraça) e sua irmã Amaterasu, indiganada, se retirou para uma caverna. O sol não brilhou mais desde então. Passado algum tempo, os demais deuses conseguiram trazes Amaterasu de volta e Susanoo foi expulso do céu.

Na terra, conheceu Kushinada que o mudou a ponto de fazer com que o deus dos mares matasse um terrível dragão de 8 cabeças, Yamata no Orochi. Após embebedar a terrível fera, Susanoo matou e retalhou a fera. Ele quebrou a espada dele cortando a cauda do dragão, mas outra espada apareceu, a lendária espada de Kusanagi (“A Cortadora de Grama”, mais conhecida como “Mata-dragão”) a qual ele deu para Amaterasu, como prova de arrependimento. Por fim, Susanoo se casou com Kushinada e eles e seus descendentes realizaram feitos titânicos de procriação. Um dos seus descendentes, por exemplo, foi O-Kuni-No-Nushi, que teve oitenta irmãos.

Susanoo

susanoo deus japonês dos mares

Yamata no Orochi

yamata no orochi 4.png 5yamata no orochi 4yamata no orochi vs susanoo.jpg 2

A doce Kushinada (suspirei… que sonho de mulher… ai ai… Por ela, eu também mataria o dragão Yamata no Orochi)

Kushinada, a mina de SusanooKushinada_Mikumo_by_Dangerboy3DKushinada M

Anúncios

Grandes batalhas LXXV: Dagda vs Thor: quem é o mais comilão?

Gula:

s.f. Vício ou defeito de comer e beber em demasia; glutonaria.
Fig. Desejo ardente, sofreguidão.

O mesmo que glutonaria.
Grande amor a boas iguarias.
Gulodice.
Moldura, em forma de S, na cornija ou cimalha.
Espécie de plaina.

Os conceitos incorporados no que se conhece hoje como os sete pecados capitais se trata de uma classificação de condições humanas conhecidas atualmente como vícios que é muito antiga e que precede ao surgimento do cristianismo mas que foi usada mais tarde pelocatolicismo com o intuito de controlar, educar, e proteger os seguidores, de forma a compreender e controlar os instintos básicos do ser humano. O que foi visto como problema de saúde pelos antigos gregos, por exemplo, a depressão (melancolia, ou tristetia), foi transformado em pecadopelos grandes pensadores da Igreja Católica.

Assim, a Igreja Católica classificou e seleccionou os pecados em dois tipos: os pecados que são perdoáveis sem a necessidade do sacramento da confissão, e os pecados capitais, merecedores de condenação. A partir de inícios do século XIV a popularidade dos sete pecados capitaisentre artistas da época resultou numa popularização e mistura com a cultura humana no mundo inteiro.

Gula é o desejo insaciável em geral por comida, bebida.

Segundo tal visão, esse pecado também está relacionado ao egoísmo humano: querer ter sempre mais e mais, não se contentando com o que já tem, uma forma de cobiça. Ela seria controlada pelo uso da virtude da temperança. Do latim gula. Fonte wikipédia.

 

Obs.: as frases que estão na opção do Thor na enquete foram retiradas do livro Raganarok, o Crepúsculo dos deuses, de Mirella Faur

thor godthorDagda 0001 www.templodeapolo.net - Johnson

Efeito da gula:

efeito da gula Imagem: Wall-e (filme)

Prato de pedreiro

Dagda, Mitologia celta. Dagda, o deus bondoso

Esta galeria contém 9 imagens.

Textos retirados da internet. Depois eu os revisarei e os complementarei. xxxxxxxxxxxxxxxx O deus supremo do panteão celta é Dagda (mas em certas regiões e épocas sua consorte Danu parece ocupar essa posição). O Dagda é uma figura paternal, protetor da tribo e o deus “básico” do qual outros deuses masculinos seriam apenas variantes. Deuses célticos são entidades não muito […]

Grandes batalhas LXXIV: Dagda vs Zeus: ser amado ou ser temido, eis a questão.

Vale mais ser amado ou temido (na chefia)? O ideal é ser as duas coisas, mas como é difícil reunir as duas coisas, é muito mais seguro – quando uma delas tiver que faltar – ser temido do que amado. Porque, dos homens em geral, se pode dizer o seguinte: que são ingratos, volúveis, fingidos e dissimulados, fugidios ao perigo, ávidos do ganho. E enquanto lhes fazeis bem, são todos vossos e oferecem-vos a família, os bens pessoais, a vida, os descendentes, desde que a necessidade esteja bem longe. Mas quando ela se avizinha, contra vós se revoltam. E aquele príncipe que tiver confiado naquelas promessas, como fundamento do ser poder, encontrando-se desprovido de outras precauções, está perdido. É que as amizades que se adquirem através das riquezas, e não com grandeza e nobreza de carácter, compram-se, mas não se pode contar com elas nos momentos de adversidade. Os homens sentem menos inibição em ofender alguém que se faça amar do que outro que se faça temer, porque a amizade implica um vínculo de obrigações, o qual, devido à maldade dos homens, em qualquer altura se rompe, conforme as conveniências. O temor, por seu turno, implica o medo de uma punição, que nunca mais se extingue. No entanto, o príncipe deve fazer-se temer, de modo que, senão conseguir obter a estima, também não concite o ódio.

Nicolo Maquiavel, in ‘O Príncipe’

Great battles LXXIV: Dagda vs Zeus: to be loved or to be feared, that is the question.

Dagda, the good God: it is better to be loved than to be feared.

Zeus, ruler of Olympus: it is better to be feared than to be loved.

dagda misteriosozeus-god-of-war

Crítica ao filme Guerra Mundial Z: Não leia antes de ir ao cinema.

Esta galeria contém 4 imagens.

Crítica: A transformação é muito rápida. Aquilo não existe! Mudar toda a estrutura orgânica de um ser vivo em segundos?! Muito apelativo… E não sei porque os contaminados se transformam em super humanos… Podem ficar com raiva, agressivos e etc, mas isso não significa que uma estrutura corporal humana de uma hora para outra, consiga […]