300 – A ascensão de um império. Crítica

War!!!!

300 rise temistócles

Foi pensando nisso que fui ao cinema hoje. Fiquei um pouco decepcionado com o filme, embora tenha gostado. Achei que seria mega foda como foi o primeiro. Estava com altas expectativas. Aguardei por anos uma continuação. Achei que teria várias frases de efeito como “Esta noite, nós jantaremos no inferno!”, “Lutaremos à sombra” ou a mais foda de todas “This is Sparta!”

(até hoje eu grito essa porra)

Infelizmente nenhuma frase me marcou, talvez porque eu tenha assistido o filme dublado.

Deveria ter assistido o legendado. O grito de “War” ficou uma bosta dublado. Não deu nem vontade de levantar da poltrona do cinema e gritar também, rs. Terei que ver o filme legendado, com o som original. É o que farei. Sanarei este meu erro, mas mesmo assim tenho certeza que não haverá aquelas frases que ficam na sua mente.

Achei o Temistócles muito bonzinho e chato, sem personalidade. O verdadeiro tinha fama de arrogante e impositivo, tinha defeitos e não só virtudes e idéias criativas, que salvaram os gregos.

Se não optasse pelo clichê da porra da luta entre liberdade e tirania, do bem contra o mal, do grego heroicizado, o filme seria bem melhor. Pena que o Zack Snyder não dirigiu o filme =( Certamente teria sido bem melhor. Além disso, Sullivan Stapleton foi um ator bem inferior ao viadinho do Gerard Butler, o rei Leônidas do primeiro filme, que não quis dar as caras no novo filme.

rei leônidas gritando

As cenas de batalhas foram legais. Muito sangue, decapitações, mutilações, gritos, discursos épicos, exortações à guerra. O campo de batalha marítimo também foi muito louco. Muito bem feito. Todavia, o filme deveria ter se atentado ao fato de que o que salvou os gregos não foi a intromissão dos espartanos no mar ou a união de toda a Grécia, mas sim questões técnicas das embarcações e a inteligência de Temistócles na batalha de Salamina.

A história real é tão melhor que as contadas nos filmes de hoje. Fico me perguntando porque essas produtoras optam por fazer filmes históricos sempre iguais (bobos) ao invés de retratar a história como foi. Seria muito mais interessante. Pode colocar banhos de sangue, heróis, cabeças rolando, gritos, mas que seja fiel à história. As relações da antiguidade eram tão instigantes. Adorava estudar história quando criança. A sociedade espartana é tão bacana. Pena que eu nasci no Brasil e não em Esparta. Gosto mais dos valores daquela cidade-estado do que os nosso valores: funk, materialismo, jeitinho brasileiro, balada

, funk ostentação

, briga de torcidas,

malandragem, busca desenfreada pela fama, desvio de dinheiro público, corrupção, atrasos e superfaturamentos das obras da copa, loteamento de ministério, oposição hipócrita, desvalorização da educação, violência urbana, politicagem (antigamente a ideia é que a copa traria benefícios para a população, mas hoje, ao se notar que nenhuma obra benéfica à população ficará pronta a tempo e nem a contento, o único objetivo é ser a copa das copas – ridículo!), imprudência no trânsito e etc. Sei que morreria cedo e violentamente se fosse espartano, mas morreria feliz, buscando a glória e acreditando ter sido útil para proteger uma sociedade honrada na qual eu acreditava.

Voltando ao filme, o fato do Rodrigo Santoro aparecer não mais do que dez minutos no filme também foi bom e o fato de não falar quase nada também kkkkkk Brincadeirinha. Acho que Hollywood deveria tratar melhor atores estrangeiros e que o Rodrigo Santoro não deveria mais se submeter a este tipo de papel secundário ou mesmo terciário.

300 rodrigo santoro

De ascensão de Império o filme não tem nada. A história narra a rivalidade entre Temistoclés e a doce Artemisia, interpretada pela apaixonante Eva Green.

300__Rise_of_an_Empire_46

Artemisia salvou o filme literalmente, não só porque a personagem é marcante tanto pela personalidade forte, sagaz e determinada como pela beleza, mas também porque é uma delícia de comandante. Sexy para car… Deu vontade de ser um soldado persa para lutar por ela, rsrs. E quando ela pede para o Temistoclés mudar de lado durante a cena do sexo selvagem… diferente dele, eu teria mudado rapidinho, pois com aqueles seios na minha cara seria impossível dizer não, rsrsrs. Vou lembrar… da Artemisia até o final da minha vida =)

300-rise-of-an-empire

Uma mulher comandante linda, boa de briga, mandona, inteligente, independente, dark, com roupas negras coladas no corpo e cruel, extremamente cruel, quer mulher melhor do que essa? Rsrs

artemisia 300artemisia eva green

Enfim, esperava mais do filme, mas foi bom, o melhor que vi este ano, o que não era muito difícil de ocorrer. Se fosse melhor dirigido, se tivesse um Temistócles mais fodão e se fosse mais apegado à história real seria épico e lembrado por séculos.

temistócles 300 a ascensão de um império

Anúncios

5 pensamentos sobre “300 – A ascensão de um império. Crítica

  1. Aurora disse:

    Quando eu ia começar a postar um comentário aqui, meu computador desligou…acho que é um sinal dos céus kkkkkkk

    ainda estou avaliando se devo acompanhá-lo para assistir à versão legendada deste filme…primeiro porque se o primeiro já era tosco, este parece ainda pior! Segundo porque…sério, se corro o risco de você levantar da cadeira e gritar qualquer coisa que seja…affff…:P

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s