Crítica Mulher Maravilha

Melhor filme de super-herói que vi nos últimos tempos, mas é meia boca.

A película é elegante, até as cenas finais exageradas e sem sentido, e tem uma história simples e coerente.

A protagonista é muito boa e não há aquele apelo sexual explícito pelo fato de ser mulher, embora eu goste muito de apelo sexual (vou ver o filme Baywatch, com a Alexandra Daddario, que deveria ser a Mulher Maravilha nos cinemas). A beleza da Gal Gadot é explorada, mas de uma forma suave e charmosa.

O coadjuvante também tem alguma relevância e é bem explorado pelo filme.

E eu faria uma Mulher Maravilha mais maliciosa e madura (e sexualizada também, rs), mas confesso que a ingenuidade dela até encanta um pouco.

Themyscira, a ilha das amazonas (organização e estrutura) é bacana, embora pudesse ter sido mais explorada. É bom ver mulheres no comando, rs.

Outro ponto positivo do filme é que a película não é um show de stand up com efeitos especiais como aqueles filmes chatos da Marvel, recheados de piadinhas babacas (ex.: o carinha salva a galáxia dançando na frente do vilão super poderoso… que coisa babaca e ridícula, só a Disney mesmo para fazer uma merda dessa; e os filmes do homem aranha então, estes são o máximo de babaquice que já vi em uma obra popular junto com o deadpool).

Contudo, o trabalho tem cenas de ação muito ruins (aquela em que ela toma impulso em uma placa de aço com homens embaixo sem esmagá-los é terrível) e as cenas de continuidade também são péssimas (num dia ela está nas ilhas gregas e depois de uma noite está em Londres, isso viajando em um barquinho à vela; e de uma hora para outra sai de Londres e vai para o continente europeu). Sem falar das conveniências, tipo o castelo do mal está pertinho do campo de batalha. Bom, mas isso é relevante só para quem é chato como eu. Quem busca diversão ou uma história razoável não vai ligar para isso.

Mas o que acredito incomodar até pessoas com grau de exigência menor são os vilões: são nível Marvel. Muito ruins. Eu até me empolguei quando soube quem era o chefão final, mas me decepcionei um pouco com a batalha derradeira. Também me decepcionei como eles aproveitaram a mitologia grega, mas, enfim, aqui a mitologia é a da DC e eles podem estragar as raízes gregas como bem entendem.

E o filme tem aqueles clichês de todas as histórias de super-herói: o amor vence, a história de origem, a predestinação, a jornada, “quero salvar o mundo”, “sou boazinha” blá blá blá.

Outro ponto negativo, e talvez seja o maior, é que a Mulher Maravilha mata um monte de soldados alemães, mesmo entendendo que eles são manipulados…

Ah, por falar em guerra, vi um filete de sangue no filme inteiro 0.0

Até nos filmes da Marvel aparece mais sangue.

Uma coisa que não gostei é ver um prisioneiro invasor das amazonas ser preso em uma piscina lúdica na ilha, após a morte de várias mulheres, mas sei lá, deve ser porque sou homem e estou acostumado com a crueza do patriarcado.

E também as alterações de força da Mulher Maravilha não me convenceram (uma hora dança ou trepa com o coadjuvante e noutra derruba uma torre ou segura um tanque), sei lá. Nunca gostei disso em filmes de heróis. Nesse ponto, prefiro o Hulk. Ele destrói tudo com sua força. Eu exploraria isso na Mulher Maravilha.

Enfim, o filme é bacaninha, desde que você não seja muito rigoroso, e é melhor que os filmes da Marvel e que os da DC. Só é inferior aos filmes do Batman com o Christian Bale e ao primeiro Vingadores. O resto é tudo lixo. Nem sei porque as pessoas gostam de filmes de super-heróis. Espero que isso acabe.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s