Sedna – Deusa Inuit

Sedna é uma das principais deusas da mitologia inuit e é conhecida como a “Mãe dos Animais Marinhos”. Várias são as lendas sobre a origem de Sedna e todas têm em comum o fato dela ser uma bela jovem humana vivendo com seu pai.

De acordo com uma dessas lendas, Sedna, até então uma mortal, foi seduzida por um belo caçador que viajava em uma canoa. Quando ela embarcou na canoa, percebeu que fora enganada, pois o belo rapaz se revelou como um espírito-pássaro e a obrigou a se casar com ele.

Noutra, o pai de Sedna, após trabalhar em prol do casamento, foi visitá-la e se deu conta de que o espírito-pássaro era vil.

Tanto na primeira versão, como na segunda, o pai, numa visita, ao ver que sua amada filha morava num lugar imundo, colocou-a num barco, para levá-la de volta lar. Porém, durante a debandada, o espírito-pássaro invocou uma tempestade ártica para frustrar a fuga.

Então o pai se desesperou e jogou Sedna ao mar. A jovem, contudo, agarrou-se na borda do barco e seu pai se sentiu obrigado a cortar seus dedos, em razão do medo que sentia.

Os dedos cortados se transformaram em animais marinhos, como focas, baleias e morsas. Sedna, triste, foi morar no fundo do mar, isolada, de onde reina sobre os animais marinhos.

Outra versão do mito explica que Sedna, uma moça jovem e muito galanteada pelos jovens do povoado onde vivia, nunca aceitava seus pretendentes – fazia doce e se achava o último biscoito do pacote – até que se apaixonou por um cachorro e com ele casou. Os jovens pretendentes, raivosos, levaram a moça para o mar dentro de uma canoa e a jogaram nas águas geladas. Para se salvar, Sedna agarrou-se na lateral do barco, mas os homens cortaram seus dedos para que ela morresse afogada.

Quando seus dedos caíram no mar, transformaram-se nas primeiras focas e outros seres marinhos. Enquanto isso, Sedna afundava para no porvir se transformar na Rainha dos Seres Marinhos.

Sedna, devido ao grande sofrimento pelo qual passou, tornou-se rancorosa e, quando alguém a ofende, ela prende todos os animais para que ninguém possa pescar nem caçar, comunicando-se de forma indireta.

Quando isso ocorre, um bravo homem, com poderes de xamã, deve mergulhar até o fundo do mar para pentear e desenbaraçar os cabelos de Sedna – sujos e lodosos pelos pecados humanos que afundam na água. Sedna fica agradecida ao ter seus cabelos limpos e arrumados em duas grandes tranças e, por isso, liberta os animais para que a humanidade possa se alimentar outra vez.

Curiosidade: Sedna batiza um planeta-anão, situado além da órbita de Plutão.

Uma enquete sobre Sedna =)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s