Grandes batalhas CXIX: Afrodite vs Perséfone: Adônis, amado por ambas, que se odeiam, deve ficar com quem no tempo que tem livre?

Esta galeria contém 14 imagens.

Essa enquete é fruto de uma sugestão dada por Isaac Alves, leitor do blog, servindo também como uma homenagem a ele. Além disso, é uma das enquetes mais difíceis de responder que eu já fiz. Anúncios

Grandes batalhas V – Quem é a mais bela?

Afrodite vs Freya

Please correct my English. I’m learning yet.

Great battles V – What is the most beautiful goddess?

 

Aphrodite (goddess Freya belongs to the second class … I think Vanir could not be class gods, deary. It is the poor cousin of the gods family. she was given as war spoils)

 

Freya (I do not need a magic belt – to hide the belly – and I not buy a mere mortal to be considered the most beautiful. Born of a testicle… ridiculous)

aphodite-smite

aphrodite

freya-smite

Flidais ou flidias

Na mitologia Irlandesa Flidais era a deusa das florestas, dos bosques e das criaturas selvagens. Também era a deusa do amor e da beleza, como se pode ver nas figuras abaixo. Essa divindade é mágica, tem estreita relação com as fadas e possui um apetite sexual voraz e insaciável, por isso é bonita – quanto mais sexo fazemos, mais bonitos somos, rs.

Bom, mas a jovem deusa, se é que deuses podem ser considerados jovens, mandou uma mensagem para a Humanidade e como eu sou Adônis, humano cobiçado pelas deusas da beleza, seu homem de confiança, escolheu-me como instrumento de materialização de sua divina manifestação.

Veja, a mais delicada das deusas da beleza – e, infelizmente, a menos conhecida também – por ser também divindade que cuida das florestas, dos bosques e das criaturas selvagens (o que particularmente eu acho o máximo, pois é bela, ninfomaníaca e cuida do meio ambiente, sem aquela ostentação, promiscuidade e luxúria das deusas Afrodite e Freya. Arrisco a dizer que lembra um pouco a minha pessoa), roga para a Humanidade que trate melhor o meio ambiente.

Ela quer que o meio ambiente natural, mormente as florestas, os bosques e os animais selvagens, seja preservado da cobiça e da destruição dos seres humanos. Quer que haja desenvovilmento sustentável, de forma a conciliar a existência humana e a preservação ambiental, para que ela possa descansar um pouco, pois, por exemplo, a  Floresta Amazônica está diminuindo sensivelmente, toda a riqueza biológica que nela existe está sendo erradicada da face da Terra, espécies de animais selvagens estão entrando em processo de extinção ou já foram extintos. Isso provoca uma tristeza, cansaço e dor profunda na deusa celta-irlandesa, que faz o que pode para dar guarida aos animais fugitivos e para denunciar madeireiras e malditos representantes do agronegócio. Sem falar, é claro, na morte, tortura, e venda ilegal e inadequada de animais silvestres, que são tratados como filhos por Flidais. Isso  parte seu coração.

As matas ciliares, que ela tanto gosta e ajuda com sua magia, estão sendo vilipendiadas. A função da mata ciliar de propugnáculo dos rios sempre foi aviltada pelo agronegócio, que à sorrelfa a destruía, mas que agora o faz às claras, com espeque na influência de Deméter, a deusa da Agricultura, ávida para que a atividade humana que protege e incentiva sobrepuje todo e qualquer obstáculo, em evidente sinal de menoscabo ao meio ambiente, aquilo que Flidais, uma das minhas deusas favoritas, sempre zelou. (Sim Deméter, vai tomar no seu cu!)

Flidais em breve usará sua magia para tentar tocar os corações dos homens, e das mulheres (antes que venha uma feminista chata encher o saco), tão sujeitos a influência de outros deuses, como Hades, o deus da riqueza, Ares, Atenas, Tyr, deuses da guerra, Afrodite, deusa da beleza e da luxúria, Deméter, a deusa da agricultura e Héstia, deusa do fogo, que adora uma queimada.

Caso não consiga alcançar a natureza humana sozinha, aliar-se-á a outros deuses, como Gaia, cuja reputação não é das melhores, Ártemis, sempre solitária, Pã, um deus secundário, que para muitos já estava morto. Tal aliança não visa, digo de plano, e transcendendo um pouco os limites que me foram impostos pela deusa, em uma guerra declarada contra os deuses supra citados, mas apenas uma frente política e organizada, voltada para o interesse ambiental e com objetivo de aumentar a importância do meio ambiente na consciência frágil do homem e da mulher.

Sabe, é uma pretensão legítima, pois o meio ambiente atinge a todos. É um direito fundamental do ser humano e dos deuses, algo de que não podemos abrir mão. É um direito que se difunde por toda a sociedade, que não pode ser individualizado ou dividido. O meio ambiente atinge não só as pessoas dessa geração, mas as pessoas que virão, nossos filhos, netos e etc.

Precisamos cuidar da nossa natureza, preservá-la e se possível conservá-la. Temos que parar com essa ideia de usar petróleo para tudo e de consumir, consumir, iguais aos norte americanos. É o cúmulo do ridículo ainda se comprar carro na cidade de São Paulo (e o governo está concedendo um monte de benefícios atualmente ai ai), de ter uma malha metroviária tão pequena na maior cidade do hemisfério sul, de chineses terem de usar máscaras em suas cidades por conta do ar poluído, de avenidas e marginais serem construídas ao lado dos rios, com destruição das matas ciliares e impermeabilização do solo (depois não sabem porque há enchentes), de florestas inteiras serem derrubadas para dar lugar à pecuária e à agricultura, da existência de erosão, deslizamentos do solo em razão do mal uso.

Ela, Flidais, também não consegue entender, e nem eu, qual a dificuldade nessa tal de Rio + 20. É muita politicagem e pouca ação. Estão protelando decisões. Não se responsabiliza ninguém! Parece mais uma vitrine de boas intenções e de discursos hipócritas. O pior é que não conta com os grandes líderes mundiais e que são, infelizmente, os representante dos maiores poluidores. Chega a ser risível, embora seja trágico.

Hoje, já há muita gente dizendo que não há aquecimento global, que na verdade é um ciclo natural do planeta. Pode até ser, mas isso não exime de responsabilidade os terráqueos pelo emporcalhamento do mar, da terra e do ar. Não é uma carta branca para continuar poluindo, porquanto ainda que o macroclima não seja afetado diretamente pela ação humana, o microclima é. E nós estamos no microclima. Flidais sabe muito bem disso. Segundo ela, os elfos e as fadas estão se escondendo, buscam refúgio. são seres de paz, mas que estão perdendo seu habitat natural e que em breve se revoltarão e passarão à ofensiva.

Flidais não é avessa à causa humana como uns deuses por aí, ela acredita que dando informação e educação aos seres humanos, a Humanidade entrará em equilíbrio com o meio natural. Ela é a favor da bioctenologia, pois vislumbra que com esse avanço tecnológico, muitos animais e muitas plantas serão salvas no futuro. Ela só quer que haja responsabilidade, informação, educação e cooperação por parte dos homens e das mulheres. Quer que a natureza seja usada de forma racional, que a propriedade cumpra sua função social, que é harmonizar as necessidades dos homens e mulheres com a tutela do meio ambiente. Com isso, a deusa acredita que logo seu trabalho será diminuído e que seus bens mais preciosos serão resguardados. Será bom para todos.