Top 10 Guerras da Mitologia

Esta galeria contém 32 imagens.

Leiam A Nova Teogonia Livro I e Livro II, livro de minha autoria. A Nova Teogonia tem na Livraria Cultura também! 10º Guerra de Troia Embate entre humanos em que os deuses olímpicos tomaram partido (Hera, Atena, Poseidon, Hefesto e Tétis pelos gregos e Apolo, Afrodite, Ares, Ártemis e Leto pelos troianos). Durou dez anos. Na verdade, […]

Grandes batalhas LXII: Deuses da fertilidade! Doação de sêmen! Escolha seu doador!

Para casais que querem ter filhos e não conseguem, aconselho um banco de sêmen humano ou então este divino que vos trago.

Please correct my English. I’m learning yet.

Great battles LXII: Gods of fertility! Semen donation! Choose your donor!

 

Frey. Nordic. Tall, blonde, beautiful, blue eyes, respected, intelligent, faithful. Freya Brother. Controls the time, prosperity, joy and peace. It is the chief god of agriculture.

 

Osiris. divine power and Egyptian politics. The most worshiped god of ancient Egypt. Husband of Isis and father of Horus and Anubis. Judge of the dead in the Hall of Two Truths

 

Priapus. Greek. Son of Aphrodite and Dionysus. Old rascal.
It has the largest penis of the universe. Only accepts donate semen in the traditional way. Want you face?

 

Eshu. African. irreverent style, playful, catchy, provocative, indecent, cunning, sensual, tagger. It is controversial. It is represented with an erect human phallus.

Exu

Exu (Èsù) é a figura mais controversa do panteão africano, o mais humano dos orixás, senhor do princípio e da transformação. Deus da terra e do universo; na verdade, Exu é a ordem, aquele que se multiplica e se transforma na unidade elementar da existência humana. Exu é o ego de cada ser, o grande companheiro do homem no seu dia-a-dia.

exu

Priapo

Priapo ou Príapo (em grego: Πρίαπος, transl. Príapos) é o deus grego da fertilidade, filho de Dionísio e Afrodite. Sua imagem é apresentada como um homem idoso, mostrando um grande órgão genital (ereto). Priapo era considerado como protector de rebanhos, produtos hortículas, uvas e abelhas.

Dionísio vindo vitorioso de batalhas nas Índias, foi por Afrodite ardorosamente recebido e dessa união nasceu Priapo. Hera, ciumenta de Afrodite, trabalhou para que a criança nascesse com a sua enorme deformidade (curiosamente ele sempre é representado com um pênis de tamanho exagerado). Sua mãe mandou educá-lo nas margens do Helesponto em Lampasaco, onde por conta de sua libertinagem e desregramento tornou-se objeto de terror e repulsa. A cidade foi tomada por uma epidemia e os habitantes viram nisso uma retaliação por não terem dado atenção ao filho de Afrodite, fizeram rituais e pediram que ele ficasse entre eles.

priapo deus priapopriapo

Frey

Na mitologia nórdica, Frey, Frei, Freyr ou Freir é filho de Njord e irmão de Freya, e está casado com a gigante Gerda. É um deus representado como belo e forte que comanda o tempo e a prosperidade, a fertilidade, a alegria e a paz. É o deus chefe da agricultura.

frey aesir

Osíris

Osíris (Ausar em egípcio) era um deus da mitologia egípcia, associado à vegetação e a vida no Além. Oriundo de Busíris, no Baixo Egipto, Osíris foi um dos deuses mais populares do Antigo Egipto, cujo culto remontava às épocas remotas da história egípcia e que continuou até à era Greco-Romana, quando o Egito perdeu a sua independência política.

Marido de Ísis e pai de Hórus, era ele quem julgava os mortos na “Sala das Duas Verdades”, onde se procedia à pesagem do coração ou psicostasia.

osíris e ísis

Desenho acima retirado deste blog. Por Camila Fernandes.

Deuses nórdicos: 3ª parte. Frey (Frei ou Freyr), Idun, Njord, Jord e Balder

Balder, o deus bonzinho, cuja morte desencadeou o Ragnarok

Balder ou Baldur (Balðr no original), é uma divindade do panteão nórdico. Segundo algumas fontes, este deus seria filho de Odin e Frigga, segundo outras seria apenas um “protegido” destes. Era, em qualquer dos casos, uma divindade da justiça e da sabedoria, e embora não pertencesse ao núcleo de deuses superiores, Aesir, era-lhe permitida a permanência em Asgard.

Balder é marido da bela Nanna, uma deusa benevolente e bela, que se atirou em sua pira funerária para habitar em Hel com seu marido. São pais de Forseti, uma divindade da justiça, que alguns dizem presidir as Things (assembléias dos homens livres).

Balder disseminou a boa vontade e a paz em todos os lugares que visitou, o que fez dele um dos deuses mais amados. Sua popularidade e bondade inata atraíram a ira de Loki, um filho de gigantes que tramava sempre o mal.

Um dia, Balder passou a ser atormentado por estranhos pesadelos, um sinal de sua morte iminente, e isso acabou perturbando todos os deuses. Depois de muito investigar, Odin descobre das völva (sereias feiticeiras do submundo) o destino de Balder e toma algumas precauções para evitá-lo, enviando Frigga com a missão de obter um juramento de todos os seres vivos e não vivos de que jamais fariam mal a Balder. Porém, Loki se disfarça de mulher e tem uma conversa com Frigga, descobrindo que de todos os seres, apenas uma pequena planta, o visco, não prestara o juramento, pois Frigga a julgara pequena e inofensiva por esta ser ainda muito jovem.

Aconteceu então uma festa em que todos os deuses se divertiam atiravando toda sorte de coisas em Balder, as quais sempre se desviavam de seu alvo. Havia um, porém, que não participava da brincadeira,Hodr (ou Hod), o irmão cego de Balder. Loki, disfarçado, pergunta a Hod por que ele também não participa da festa, e este responde que não sabia em que direção atirar. Aceitando a sugestão de Loki, Hod atira uma flecha feita de um ramo de visco no coração de Balder, que no mesmo instante cai morto.

Frigga pede para Hermodr ir ao submundo trazê-lo de volta. Hela concorda, com a condição de que todos os seres vivos derramassem uma lágrima por Balder. Mas a tentativa é novamente frustrada por Loki, que disse que não o faria. Dessa forma, Balder não pôde ser ressuscitado.

Não obstante, esperava-se que Balder retornasse após uma grande catástrofe mundial (o Ragnarok) e governasse um mundo novo. A semelhança dessas expectativas pode ter ajudado na difusão inicial do cristianismo entre os nórdicos.

Jord, versão nórdica de Gaia.

Jord ou Jörð, é a deusa de Midgard (a Terra na visão dos nórdicos).Algumas lendas dizem que ela é irmã do deus do mar, Njord, embora outras afirmem que ela seja amante de Njord.

É a deusa que permite e que faz todas as coisas crescerem na terra, de árvores à flores. Jord é uma Jotun, embora seja tratada também como uma Æsir, o que mostra como, diferente do que normalmente se pensa, os Jotuns não são criaturas más necessariamente.

Jord também é mãe do deus do trovão Thor mãe também de Meili, sendo Odin o pai.

Diferente dos outros Æsir, ela não permanece em Asgard, mas sim em Midgard para tomar conta da terra.

Ajude Jord nesta batalha.

Njord, deus dos mares

Na mitologia nórdica, Njord, o deus vanir dos Mares, dos ventos e da fertilidade, contraposto a dos Aesir, dos quais Odin era o líder. Njord era o Pai deFreya, a deusa do amor, e de Freyr, deus da fertilidade, e casado com Skade1 .

É o protetor dos pescadores e dos caçadores que, em sua honra, construiam pequenos altares nas falésias e nas florestas, onde depositavam parte do que conseguiam pescar ou caçar. Era visto como um deus pacífico.

Njord casou com Skadi, deusa do Inverno e da caça. Skadi escolheu o seu marido observando os pés dos deuses, sem lhes ver a cara, e começou a procurar os pés mais limpos e bonitos, e escolheu os de Njord, porque seus pés sempre estão limpos por causa da água do mar. Njord e Skadi não tiveram um casamento feliz, e logo se separaram, pois Skadi como uma deusa das montanhas não conseguia viver nas costas oceanicas assim como Njord não conseguia viver nas montanhas, com a constante mudança foram criadas as estações do ano

Freyr

Na mitologia nórdica, Frey, Frei, Freyr ou Freir é filho de Njord e irmão de Freya, e está casado com a gigante Gerda. É um deus representado como belo e forte que comanda o tempo e a prosperidade, a fertilidade, a alegria e a paz. É o deus chefe da agricultura.

É o patrono da fertilidade, o soberano dum país chamado Álflheimr, reino dos elfos da luz (ljósálfar), que são os responsáveis pelo crescimento da vegetação. O Skirnismál (“A Balada de Skirnir”) nos informa que Frey é filho de Njörðr (Njord), o deus da fertilidade. É portanto um deus dos Vanir. Seu cavalo salta qualquer obstáculo e a sua espada mágica, forjada por anões, move-se sozinha nos ares desferindo golpes mortais, mesmo se for perdida em combate. É senhor de um javali de ouro chamado Gulinbursti, criação dos anões Brokk e Sindri, que conduz um carro como se fosse puxado por cavalos, e cujo brilho reluz na noite. Tem também um navio, Skidbladnir (Skidbladnir), que é tão grande que nele cabem todos os deuses, mas pode ser dobrado e guardado na algibeira. É uma das mais antigas divindades germânicas junto com Freyja e Njörðr, e seu nome significa “senhor”.

Apesar de ser um deus pacífico, Frey está destinado a lutar contra Surtur na batalha de Ragnarok. Nesta luta não poderá utilizar a sua espada mágica, porque a deu ao seu escudeiro, Skirnir[

Idun, a deusa da juventude (tenho convênio com ela. Ela me cede algumas maçãs da juventude para eu comer. Por isso aparento ter mais de cinco a menos do que realmente tenho, rs)

Iduna (também conhecida como Idun ou Iðunn) era, na mitologia nórdica, esposa de Bragi e deusa da poesia. De acordo com o Edda em prosa ela era a guardiã do pomar sagrado cujas maçãs permitem aos Aesir restaurarem a sua juventude pela eternidade. Ela é responsável pela imortalidade dos deuses, fornecendo uma maçã por dia, vinda de seu cofre de madeira de freixo, que mantêm a juventude e força. Na “Altercação de Loki”, das baladas édicas, ela é acusada de adultério pelo perverso Loki[1]: “Idun aperta em seus braços o assassino de seu irmão”. Em outras fontes da Mitologia Nórdica temos o episódio no qual o gigante Tiazi por ela se apaixona, seqüestrando-a metamorfoseado em uma águia. Ao que parece, Idun não tinha culto regular entre os nórdicos, era deusa mais figurativa.

Ajude Idun.