Éris, Héstia, Vesta (para romanos), Hades, Hypnos e Thanatos; Erínias ou fúrias

Éris e o pomo da discórdia.

Sobre Éris e a Guerra de Troia:

A discórdia é boa, pois politiza o debate. Por exemplo: em plenas eleições, nada melhor que a discórdia no horário eleitoral e nos debates para ajudar os eleitores a decidir qual é o melhor candidato. Além disso, a discórdia é protegida por Voltaire, que para evitar a ditadura, impele à discussão. Nada melhor do que uma briga franca e direta, sem hipocrisia, para alcançar alguma conclusão. No que concerne ao mito da guerra de Troia, a menos culpada pela eclosão da peleja militar e pela morte de milhares de inocentes é Éris. Ela não teve culpa pela vaidade exarcebada das três deusas “sem noção” e pela falta de decisão de Zeus, que foi complacente com a situação de beligerância gratuita das deusas irresponsáveis. Éris não pode ser responsabilizada por uma situação que não deu causa. O nexo de causalidade foi rompido a partir do momento que as picuinhas entre as três deusas começaram e não foram encerradas incontinenti por Zeus. A culpa pela guerra é de Zeus e das três divindades fúteis, que a estimularam e dela participaram. É muito fácil imputar a culpa a Éris, só porque vive isolada e tem fama de ser uma pessoa difícil. Além disso, ela teve uma reação compreensível. Se Ares, deus da guerra, foi convidado para a festa dos deuses, por que ela não seria? A guerra é muito pior que a discórdia, pois a guerra atinge o plano material e a discórdia não. Enfim, a discórdia é a base da democracia e Éris agiu bem em reagir. Ninguém deve levar desaforo para casa de forma gratuita. Não convidar uma deusa com base em meras conjecturas é um erro que pode justificar a atitude de Éris, afinal de contas, quem cala consente e quem não chora não mama.

Vídeo bacana! Adoro ver mulheres brigando!!

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Héstia

Héstia  é a deusa grega dos laços familiares, simbolizada pelo fogo da lareira.  Filha de Cronos e Reia  para os gregos era uma das doze divindades olímpicas. A ordem de nascimento de seus irmãos é Héstia (a mais velha), seguida de Deméter e Hera, seguidas de Hades e Poseidon; o próximo a nascer, Zeus, foi escondido por Reia em Creta, que deu uma pedra para Cronos comer.
Cortejada por Posseidon e Apolo jurou virgindade perante Zeus, e dele recebeu a honra de ser venerada em todos os lares, ser incluída em todos os sacrifícios e permanecer em paz, em seu palácio cercada do respeito de deuses e mortais.
Embora não apareça com frequência nas histórias mitológicas, era admirada por todos os deuses (“ela não enchia o saco de ninguém, por isso era admirada. Na mitologia, a maioria das personagens é maluca e inconveniente”). Era a personificação da moradia estável, onde as pessoas se reuniam para orar e oferecer sacrifícios aos deuses. Era adorada como protetora das cidades, das famílias e das colônias.
Este é o arquétipo da mulher que valoriza o lar, que aprecia tomar conta de casa. Gosta de fazer as tarefas domésticas para agradar a si mesma. Também é comum àquelas que se dedicam a uma vida religiosa ou à meditação. Ela é quieta, reservada, calma, introvertida e aprecia a solidão (muitas vezes, sente-se alienada do mundo que a cerca) (“conheço várias barraqueiras e embora às prefira, às vezes é bom ter um pouco de serenidade e sossego”).
No trabalho, não é competitiva, sendo que trabalhar não é seu forte (“kkkkk já conheci várias pessoas assim kkkk”). Falta-lhe ambição, desejo de poder e de reconhecimento. Quando desempenha uma atividade profissional o faz com esmero mas de modo nada apelativo – apenas faz o que tem que fazer.
Tem poucas amizades pois não gosta de conversas triviais (“neste ponto eu sou igual à Héstia, não gosto de conversas triviais, mas tenho muitos amigos”). A sexualidade não é muito importante (“que pena”).
Expressa seus sentimentos e interesses de maneira indireta, através de gestos amáveis.
Como Deusa da lareira, Héstia é o arquétipo ativo nas mulheres que acham que tomar conta de casa é uma tarefa significativa. Com Héstia, proteger a lareira é um meio através do qual a mulher coloca a si mesma e sua casa em ordem.

O arquétipo de Héstia desenvolve-se em comunidades religiosas, principalmente nas que cultivam o silêncio (“ou seja, na cidade de São Paulo sem chance. Aqui as pessoas são barulhentas, não dá nem para pensar. Ninguém reflete na capital paulista, as pessoas apenas se preocupam em falar, falar, falar e falam alto e apenas trivialidades. Nada de importante. Aliás, o assunto mais recorrente é sobre as promoções dos planos de telefonia. Não sei se rio ou se choro”). As freiras e as virgens vestais compartilham o padrão arquetípico de Héstia.

Fontes:
Texto na íntegra e sem meus comentários:

Ajude/help Héstia aqui.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Hypnos, Thanatos e Hades

Infelizmente a grande maioria de figuras diz respeito aos cavaleiros do zodíaco, não que eu não goste de CDZ, aliás, sou fã, entretanto, é legal mostrar as diversas projeções desses personagens.

Ajude os juízes de Hades, Hypnos e Thanatos! O submundo conta com você!

Erínias ou fúrias

Ajude as Erínias, ou Fúrias.

Lista de filmes favoritos – Será atualizada periodicamente

  1. 300 – Nota: 9,995 – Filme para macho. Sangue, glória, poder, urros, sangue, brutalidade, nada dessas porcarias sentimentais de hoje. Só não ganhou dez, pois atribuiu um papel importante para a mulher, só para angariar o público feminino. Na história real, dos quadrinhos, a esposa do Rei Leônidas não tem qualquer relevância.
  2. Gladiador – Nota: 9,981 – Filme para macho e que me fez chorar no final. Foi um dos poucos, talvez o único filme que me fez torcer para o mocinho. Só não ganhou dez porque exagerou quando fodeu o personagem principal.
  3. Warcraft: O encontro de dois mundos – Nota: : 9, 980: tirando a Garona, que não teve utilidade alguma e era totalmente desnecessária, e o filho do Lothar, o filme teria sido perfeito.
  4. Van Helsing – O caçador de monstros – Nota: 9,952 – Abordou a temática dos monstros, é um filme sombrio, tem vários efeitos especiais. Tem uma mulher gostosa e sexy que morre no final.
  5. O Segredo da Cabana – Nota: 9,9521 – É instigante e te prende até o final do filme. Além disso, coloca uma série de criaturas e pesadelos em ação, sem dó nem piedade. Por fim, a Humanidade acaba. Típico filme que eu faria.
  6. Mãe! – Nota: 9,9520 – Filme ateu e que demonstra o quanto são sentido as religiões e as crenças.
  7. Thor – O Mundo Sombrio – Nota: 9,9513 – Muito foda! Muita ação; boas tiradas de Loki; Kat Dennings (suspirei); aprofundamento de personagens como Odin, Friga e Heimdall; um vilão sinistro e principalmente mitologia nórdica! Só perdeu pontos, pois Natalie Portman como mocinha é foda de aturar.
  8. Independence Day – Nota: 9,9512 – Invasão alienígena de qualidade. Guerra total. Sem frescuras. Teria uma nota melhor sem o americanismo que lhe é inerente.
  9. João e Maria – Caçadores de Bruxas – Nota: 9,951 – Foi coerente com a ideia inconsciente que a coletiva tem de bruxas medievais. Muito foda o filme. No padrão Holywood é um dos melhores que já foi feito, quiça, o melhor. Muita violência e velocidade. Pena que a bruxa branca morreu e pena que ela não lutava tão bem.
  10. Sucker Punch – Nota: 9,947: só gostosa dando porrada. Filme fetichista. Power Girl pela ótica masculina, yes! Só não ganhou dez, porque a protagonista poderia ser uma mulher mais gostosa e sexy e não parecer uma menininha indefesa.
  11. A soma de todos os medos – Nota: 9,945: Muito bom o filme, trama legal, sem ser apelativo e exagerada, principalmente porque de fato houve uma explosão nuclear em território americano. Fuck USA!
  12. Como treinar seu Dragão – Nota: 9,944: Desenho muito bonito e interessante. Apesar de ser infantil, envolveu. Além disso, trata dos vikings e dos dragões.
  13. Troia – Nota: 9,939: Foda. Principalmente porque envolve mitologia. Além disso é filme para macho, com várias batalhas e sangue escorrendo pelas ventas.
  14. O Senhor dos Anéis (A trilogia) – Nota: 9,933: O filme é muito fiel ao livro, embora eu não tenha gostado da cena dos fantasmas guerreiros que acabaram com a invasão orc no último momento e embora tenha achado o relacionamento do Frodo com o Sam muito afeminado.
  15. Distrito 9 – Nota: 9, 827: Muito interessante o filme, embora muito nojento. O bom é que, apesar de ser um filme americano, a história não se passe na américa do norte. Mostra a corrupção e os interesses da iniciativa privada, o preconceito e porque é bom ser empático. Um roteiro muito original. Ah, o protagonista se ferra no final e isso é legal, pois pouco comum.
  16. Impacto Profundo – Nota: 9,826: Bons efeitos especiais, temática legal – meteoro que vai atingir a Terra -, e, no final, há, de fato, uma colisão, ainda que parcial. E eu achava que nunca alguém faria um meteoro realmente cair na Terra em um filme.
  17. Mad Max (2015) – 9,8251: Ação do começo ao fim. Filme feminista. O Mad Max não é o protagonista. Poucos efeitos especiais.
  18. Os croods – Nota: 9,825: A Eep é uma protagonista extremamente sensual, mesmo que o filme não fosse para criança, mas para o público em geral. O desenho é muito bom. Emoção, aventura, piadas, romance piegas e sensualidade em uma garota da idade das pedras. Da hora!
  19. Batman – O Cavaleiro das Trevas – Nota: 9,820: Muito bom o filme. Dinâmico, com bons atores, bom roteiro, mulher bonita e principalmente fiel às características do personagens dos quadrinhos.
  20. Shrek (os três filmes) – Nota: 9,800: O primeiro filme estaria melhor classificado se eu o considera-se individualmente (nota: 9,942), mas o conjunto da obra diminuiu o impacto do primeiro longa.
  21. Spartacus (o antigão) – Nota: 9,783 – Para os padrões piegas e moral da época está bom. Não gostei do romancinho do filme. Que bosta! A falta de violência convincente e de perfídia também prejudicam o filme.
  22. Mortal Kombat (Só o primeiro) – Nota: 9, 777 – Meu jogo de luta preferido. A história do filme segue com algumas adaptações a do game. Só queria que o Sub-Zero fosse mais fodão no filme e que Rayden lutasse. O segundo filme foi uma bosta. Fiquei com nojo.
  23. Wall – E – Nota: 9,734 – Muito bonitinho o filme, próprio para casais românticos. É uma pena que não sou romântico, por isso eu e minha segunda ex tivemos nossa primeira briga depois que vimos o filme. Era muito sexo, sabe? E quase nada de romantismo, rs. Ela queria um pouco mais de romance. A história do desenho é boa, prende bastante e eu, que sempre torço para o mal ou para que todos morram ou sejam amaldiçoados, até torci para o protagonista. Além disso, a namorada dele é uma robô toda avançada e ele um robozinho ultrapassado. Geralmente é assim quando estamos diante de um casal. A mulher é fina, sofisticada, avançada e complexa e o homem tosco, obsoleto, bárbaro e que sempre se fode para agradar sua amada.
  24. Quem quer ser um milionário – Nota: 9,722
  25. Guerra nas estrelas (os seis filmes) – Nota: 9,700
  26. Eles vivem – Nota: 9,687: Invasão alienígena alternativa. O filme é antigo, sem efeitos especiais. É uma crítica social muito forte.
  27. Os cavaleiros do Zodíaco (os cinco filmes) – 9,679: Desenho épico sobre mitologia. O melhor desenho de todos os tempos, o mais original e o mais foda. O único problema é a porra do protagonista, Seya. Morra Seya! Shiriu é mais foda! Shaka também! Assim como Saga e outros!
  28. Vingadores – Nota: 9,653 – Apesar de algumas falhas no filme, como a impossibilidade de se aferir a força de Thor com exatidão, pois luta de igual para igual tanto contra o Capitão América quanto contra o Hulk em momentos distintos, o excessivo prestígio do Hulk e a incerteza quanto ao seu autocontrole, gostei da película. Tudo bem que a invasão alienígena não foi aquela coisa, mas como se trata de mitologia nórdica, eu gostei.
  29. Círculo de Fogo – Nota: 9,637 – Apesar de não ser um filme “sério” e ter uma trama simples, foi legal e diferente. Prestou uma homenagem a que assistia as séries japonesas de robôs da década de 80. As lutas poderiam ter sido melhores – foram feitas no ambiente noturno e no fundo do mar. Havia muitos clichês. Uma boa diversão.
  30. Constantine – Nota: 9,631 – Bem intessante a história. Não faz do capeta um fracote total como nos outros filmes e ainda trás o filho do diabo, Mammon, e o Arcanjo Gabriel, como vilões. Um modo de olhar bem diferente do normal. Algo realmente inovador! Mas ainda assim Lúcifer é fraquinho e essa história de ter o planeta como território neutro é meio batida.
  31. Avatar – Nota: 9,601
  32. Batman vs Superman: Nota: 9,6001 – Poderia ser melhor. Mais curto, sem os sonhos do Batman e sem narrar mais uma vez a origem do Batman. Poderia mostrar a violência do Batman e ter um Superman melhor.
  33. Fúria de Titãs II -Nota: 9,600 – Como se trata de mitologia grega e como aparece inúmeros deuses, eu gostei do filme, mas a história é uma bosta. Poseidon não faz nada e morre, Hades, muda de repente da água para o vinho, Zeus morre depois de ajudar a retardar Cronos, Hades perde o poder, Cronos é um mongo e assim vai. O roteirista do filme deveria ser fulminado por um raio de Zeus. Meu, o filme não tem nada a ver.
  34. Círculo de Fogo (2001) – Nota: 9,598 – Ambientado durante a segunda guerra mundial em uma cidade sitiada pelos nazistas. Houve um grande duelo de atiradores de elite.
  35. Armagedon – Nota: 9,587 – Trata de um eminente impacto de um meteoro na Terra. Adoro astronomia e o tema do filme, pena que o ator principal seja um mala e que o meteoro não caía na Terra
  36. Centurião – Nota: 9,582 – Dá medo da mulher que persegue os romanos. A história se passa na antiguidade e pretende dar uma explicação para o desaparecimento de toda uma legião romana.
  37. Fúria de Titãs (O Mais recente)  – Nota: 9,580
  38. Calígula  – Nota: 9,578 – Só sangue, sacanagem e putaria, além de abordar a história romana. Só faltou cenas de batalhas e mais cenas de sexo explícito.
  39. É o fim – Nota: 9,577 – Comédia apocalíptica que retrata o fim dos tempos.
  40. Monty Python  – Nota: 9,567
  41. Matrix (só o primeiro filme)  – Nota: 9,518
  42. Alien VS Predador (os dois filmes)
  43. Battleship (2012) – Nota: 9,514 – A história é fraca, mas o filme é bacana. Tem bons efeitos especiais, alienígenas fisicamente verossímeis e que fazem um monte de cagadas (atacar a Terra com cinco naves alienígenas foi foda, a menos que sejam mercenários espaciais, sei lá. Entrar na atmosfera de forma atabalhoada também foi muita burrice). O que gostei no filme foi justamente as cagadas dos alienígenas. O filme é para pessoas entre 18 e 23 anos, não exige muita reflexão e é basicamente efeitos especiais. O bom do filme também é que a batalha pela Terra, como diz o título do filme, ficou restrita à batalha naval e, considerando as circunstâncias do filme, não houve nada de muito ilógico no desfecho da contenda.
  44. Beowulf – Nota: 9, 432: É sobre o herói mitológico. Poderia ser mais bonito visualmente. O bom é que Angelina Jolie participa do filme.
  45. King Kong (o novo)  – Nota:
  46. Soberano  – Nota: 9,234 – É sobre o São Paulo Futebol Clube. Pena que o filme tenha adotado o mesmo formato por outros. Não foi nada de original.
  47. Godzila  – Nota:
  48. 2012  – Nota:
  49. Impacto  – Nota:
  50. Vicky Cristina Barcelona  – Nota: 9,010 – Não é meu estilo de filme, mas gostei, principalmente porque só tinha gata no filme e atuou de forma similar ao garanhão do filme.
  51. O Resgate do Soldado Ryan  – Nota:
  52. Jason VS Freddy  – Nota:
  53. O dia depois de amanhã  – Nota:
  54. Todo mundo em Pânico  – Nota: 9,090 – Ri alto o filme inteiro, mas tenho que reconhecer que o filme é bobo demais.
  55. O poderoso chefão  – Nota:
  56. O inferno de Dante – Nota: 9, 001 – O vulcão explode hehehehe
  57. Deuses do Egito – Nota: 8,789